A RELIGIÃO E A LOUCURA


2381288

 A notícia de pessoas evangélicas comentendo loucuras, assim como católicos, ambos do clero aos fiéis, com descontrole emocional e desvios de condutas de todas as ramificações holísticas, preocupa a sociedade, porque independente de credo, a ciência nunca conseguiu transformar o ser humano melhor.

Em Cachoeiro de Itapemirim, de sábado para domingo (21), terra de Roberto Caros e Rubem Braga, uma jovem senhora ateou fogo em três filhos de, entre 2 a 8 anos, por razões desconhecidas e de completa prevenção. Duas crianças morreram e uma ainda respira. Esta notícia assustadora merece editorial, há de se explicar.

Este blog tem linha editorial cristã, portanto, Deus é merecedor de mais do que simples matérias em menção sobre batalhas espirituais que se dão na humanidade, porquanto, por isto, ignorança, luta-se contra a carne e o sangue. Contudo, a visão é míope, natural. O Criador não erra. Mas algo está errado dentro das igrejas. Líderes religiosos podem estar enlouquecendo seus rebanhos com doutrinas estranhas.

O mundo, dominado pelo poder, sexo e drogas já tem sido cruel com as famílias, enlouquecendo-as de modo indescritível. E se a Igreja não fizer o seu papel, cumprindo os mandamentos de Cristo, as pessoas irão de mal a pior, expostos ao fósforo e gasolina. Caso grave, porque se a Igreja não mais se destinar à sua missão, será princípio da anarquia e da dores sem prognósticos.

 

 

 

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira é Jornalista investigativo, analítico e opinativo no Espírito Santo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.