O prefeito Carlos Casteglione virou ateu? Discrimina cristãos

Quando precisou antes de ser eleito o pastor Braz, vice, (E) e Casteglione (D) ajoelharam para orar com os evangélicos. Agora discriminam os cristãos

Tomo conhecimento estarrecido das dificuldades impostas pela Prefeitura ao Conselho de Pastores Evangélicos de Cachoeiro de Itapemirim (Conpec) para promover a semana da Bíblia na cidade, como tradicionalmente há anos é a programação mais importante dos cristãos.

Primeiramente, tem sido a maior dificuldade para os evangélicos, acredito, católicos também, de promoverem sua marcha para Jesus Cristo no final do ano nas ruas e praças públicas. A Prefeitura alega que dezembro só o estado tem direito a exultar a programação de Natal. Um crime! Uma falácia!

Quem entende de programação natalina, com suas diferenças, são os cristãos e não o Poder Público que deveria ser laico. Até construir igrejas tem sido martírio para os religiosos, enquanto bares proliferam como ervas daninhas sem qualquer censura, incentivando violência doméstica e social.

Os evangélicos querem marchar pelo centro da cidade como sempre fez, pacificamente e com aprovação da população, e se concentrar na Praça da Bíblia, perto da Prefeitura. Mas, os assessores do prefeito, supõem-se, com aquiescência do mandatário, não autorizam. Aberração!

A Secretaria de Trânsito e Segurança com má vontade, enquanto deveria incentivar e ainda oferecer segurança, como fazem em programações mundanas, paradas gays, etc…Assim não dá! E o prefeito Carlos Casteglione que se diz católico deveria deixar de proceder como ateu.

O Estado não precisa ajudar, mas também não pode atrapalhar. Esta história de ordem na cidade, impedindo a pregação das Escrituras ao ar livre, como sempre aconteceu nos logradouros públicos do Município, pode ser interpretada como perseguição e discriminação religiosa. A Constituição Federal garante essa manifestação. E a marcha vai acontecer com ou se a autorização do prefeito. Cristão não é covarde!

Todo dia tem manifestação, algumas de sessão besteirol na Praça Jerônimo Monteiro. Quando se vai promover algo transformador para o bem da sociedade, como exposição de bíblias – proibida pelo prefeito -, o cristianismo é surpreendido por um capacho do demônio, ou de assessores a serviço dele, porque a luta é espiritual neste caso.

Prefeito, o senhor pode não precisar dos cristãos para se eleger, mas os cristãos também não precisam do senhor para cultuar e adorar a Deus, porque morrem a renegar o Mestre. Vai ter a marcha para Jesus. Vai ter o culto na Praça da Bíblia, ainda que seja sob chibatada.

Escrevo como um membro do povo de Deus e soldado de Cristo. E espero a convesão deste quadro sob pena de maldição maior cair sobre o governo de Vossa Excelência ao não respeitar as manifestações religiosas e desconhecer o Deus dos Exércitos.

Conclamo todos os profetas de Deus, homens de boa fé, discípulos de Cristo, para obedecerem ao comando do Espírito Santo, como orientou o Criador em Êxodo, quando o povo espremido entre o exército do faraó e o Mar Vermelho: “Diga ao povo que marche”!

PSDB tem produzido no ES as melhores mensagens ideológicas

Vídeo do homem que foi castrado pela mulher em Cachoeiro-ES

O PT merece elogio por se diferenciar dos partidos fisiológicos

Independente das correntes que circulam no corpo partidário do Partido dos Trabalhadores, o PT conseguiu produzir a valorização da filiação partidária e a necessidade do exercício de cidadania via representação institucional legítima, que elege seus mandatários. O partido é maior dos que os seus representantes.

A eleição dos seus diretórios pelo Brasil afora é a demonstração democrática, com sua pluralidade de idéias, sem macular o resultado final convergente ao bem comum. A tradição partidária inexiste no País, mas o PT consegue, ainda com alguns defeitos a serem corrigidos, criar confiabilidade com base no fundamento ideológico, algo que se perdeu em muitos partidos nascidos com a mesma proposta, porém deformados por infecções doutrinárias e falta de uniformidade nas metas.

O PT consegue hoje produzir fatos com as eleições de seus diretórios. Qual outro consegue tanta visibilidade aos seus correligionários? Os demais eram movimentações nas convenções, em épocas de eleição, o que para o PT é a segunda maior festa política. A terceira se dá quando se vence o pleito.

O segundo turno nas eleições internas do PT chega a ser emocionante, com bocas de urnas e manifestações da militância, que, em muito superou, o maior partido do País, o PMDB. Por inveja, algumas siglas preferem ignorar essa estrutura sólida para manter as comissões provisórias nos Municípios com cabresto e chicote de manipulação para indicar protegidos sem nenhuma capacidade de presidir um partido. Um curral com vaca leiteira somente para as regionais e nacionais.

Se existe um partido a ser copiado no quesito estrutura partidária é o PT, repito: independente de suas tolices eleitorais. O Partido dos Trabalhadores proporciona uma verdadeira festa democrática no País como esse movimento partidário de pleito interno. A mídia não ignora. Faz suas análises. E se rende nas coberturas como fato relevante em suas pautas.

O PMDB foi o que mais se aproximou dessa realidade pelo antigo MDB – Movimento Democrático Brasileiro. Contudo, descambou para a realidade da barganha, tanto que há muito tempo, desde Ulisses Guimarães, prefere barganhar ministérios e fazer composições a lançar candidatura própria.

As convenções peemedebistas no País, nos Estados e Municípios eram disputadas como verdadeiras batalhas, estimulando os debates no campo das idéias. Acabou. O partido sofre de personalismo terminal, narcisismo idólatra, com finalidades até escusas. Brigam por cargos como animais em bando por comida. Insaciável.

O PT tem isso de bom. Briga internamente para se manter unido e sair fortalecido para a briga eleitoral. Parabéns aos petistas por manter a tradição partidária. E se aprimoraram! Não são mais exclusivistas e selecionam alianças possíveis.

O artigo de hoje é para apontar as virtudes. Os defeitos, só se forem dentro de outra conjuntura. Nesta, é para o bom senso aplaudir.

A volta do vereador Marcos Coelho à Câmara de Cachoeiro