EDITORIAL: A coragem e solidão de um Juiz

Capa da FOLHA do ES sobre corrupção em Kennedy-ES

Senador Magno Malta destaque na Revista Leia em entrevista exclusiva

O senador Magno Malta (PR) é conhecido por sua postura enfática e um tanto quanto polêmica, quando se trata de assuntos que envolvem o Espírito Santo e o povo capixaba. As últimas cenas protagonizadas por Magno foram os protestos que fecharam a BR 101 no Espírito Santo, no intuito de pressionar a presidenta Dilma Rousseff a vetar o projeto que prevê mudanças na distribuição dos royalties.
Como está em evidência, a Revista Leia entrou em contato com Magno Malta para lhe entrevistar e saber dele qual será a sua postura e de seu partido nas próximas eleições municipais em Cachoeiro e Vila Velha, entre outros pontos. Uma de suas falas que mais chamaram a atenção foi a de declarar apoio incondicional ao jornalista Jackson Rangel, caso sua candidatura a prefeito seja concretizada; e o sonho de ser Presidente da República.
Royalties
“Acredito que todas as manifestações que fizemos junto ao povo capixaba foram a real motivação para pressionar a presidenta Dilma a participar do debate e se colocar de modo mais favorável a não fazer mudanças antes das eleições municipais. Foi um movimento que deu resultado, porque o debate saiu do gabinete e dos palácios e tomou as ruas. Inclusive, numa reunião de líderes partidários com Dilma, ela se comprometeu a não deixar de participar das discussões. Ela (a presidenta) me chamou em particular e me pediu calma. Por isso, entendemos que o foco agora é mostrar que o Petróleo é de todos. Mas os royalties são nossos”.
Eleições Cachoeiro
“O meu partido não vai ser secundário, apêndice ou coadjuvante no próximo pleito, em Cachoeiro. Nós reconhecemos o potencial do deputado estadual Glauber Coelho para disputar o cargo de prefeito, mas isso não significa que ele será o candidato do PR. Ainda há muito para ser debatido, no projeto de reconstrução do nosso município. Paralelamente a esse processo, independente do candidato, tenho muita estima e apreço pelo jornalista Jackson Rangel, que é uma pessoa inteligente, capaz, conhecedor dos problemas da cidade e está preparado para executar o projeto que o atual prefeito não conseguiu e frustrou o povo cachoeirense. De modo algum estarei em lado oposto ao Jackson. Vamos caminhar juntos porque ele é aliado de primeira hora e sempre defendeu as mesmas bandeira que eu”.
Eleições Vila Velha
“Sobre a reeleição de Neucimar Fraga, em Vila Velha, em minha opinião é questão de honra. Ele vem sendo sabotado por outras lideranças políticas e partidárias, inclusive, de algumas pessoas infiltradas em seu governo. Ele é o melhor candidato. Qualquer partido ou líder político que for hostil a Neucimar não tem conversa com o PR em 2012, tampouco em 2014. Já fica delineado o espaço político”.
Recusa
O senador Magno Malta se recusou, durante a entrevista, de fazer qualquer menção, seja para elogiar ou criticar ao governador Renato Casagrande, senador Ricardo Ferraço, e Paulo Hartung.
2014
“Vamos participar diretamente do processo político de 2014, ainda que não tenhamos o hábito de compor com vários grupos políticos. Eu e o meu partido fomos apenas usados, até hoje, quando o assunto é eleição estadual majoritária. Por isso, em 2014, o partido estará preparado para lançar candidatura e, se o caso for, não vou omitir o meu nome, caso seja consenso. Mas reconheço que o PR, hoje, tem várias lideranças com capacidade de trabalhar, sem ficar a reboque dos outros. Não vamos cometer os mesmos erros”.
Discriminação
“Tenho sofrido discriminação por parte de uma pequena elite capixaba e, principalmente, dos meios de comunicação de massa do Espírito Santo, que não dão o devido respeito a um homem público, em seu segundo mandato como senador, com mais de um milhão de votos. Acredito que isso acontece porque sou de origem baiana, filho de negros, pobre, evangélico, e não ter curso superior. Ainda que eu faça o maior e melhor projeto do mundo, a grande mídia capixaba vai querer deslegitimar. Quando apareço ao lado da presidenta, por exemplo, eles me chamam de papagaio de pirata. Tudo o que faço é distorcido por parte da imprensa, mas o povo capixaba tem sido meu escudo e me credenciado a estar onde estou. É por isso que vamos continuar lutando”.
Sonho
“Apesar de todas as minhas frustrações ou tristeza por conta das movimentações políticas. Ainda tenho o sonho de ser presidente da república. Levo isso muito a sério, porque acredito ser um sacerdócio que Deus me concedeu. Assim, poderia erradicar de vez a pobreza no Brasil, o que seria o ápice de um mandato”.
Congresso
“Aproveito para anunciar ao povo de Cachoeiro que no mês de dezembro vamos realizar um congresso no município para debater a vocação econômica da cidade, com foco no turismo. Desse modo, vamos levar várias autoridades, tanto políticas quanto técnicas. A data e o local ainda serão definidos”.

Fonte: http://www.tudoleia.com.br

A verdade próxima sobre as eleições em Cachoeiro de Itapemirim-ES

Analistas políticos de todas as categorias estão, parecendo, alguns, aplicando o “achismo” além do ideal para acertar alguns prognósticos sobre as eleições em Cachoeiro de Itapemirim, Espírito Santo, o quinto maior colégio eleitoral, hoje, sob o domínio do esquartejado PT.

 Primeiro: Temos dois extremos, reconhecidamente, aos olhos vistos, independente de amostragens de pesquisas. O deputado estadual Theodorico Ferraço (DEM) lidera na faixa de 50%. E o prefeito, com o mesmo índice, lidera em rejeição. Ponto.

 Segundo: O deputado federal Camilo Cola (PMDB), na medida em que Ferraço, isolado de alianças, aproxima-se do PMDB, anuncia que é pré-candidato a prefeito pelo seu partido, ignorando a liderança do ex-prefeito Roberto Valadão que coordena um Comitê Suprapartidário.O empresário, com seus problemas pessoais, esforça-se para criar factóide.

 Terceiro: Todas as demais pré-candidaturas, com exceção do PP (escrevo por mim) são apêndices em busca de formar chapa de vice e negociação de espaço junto ao pole-position , Theodorico Ferraço, que não vai abrir mão de um evangélico. Seu ungido é o médico Rogério Glória, filiado, acho, no PMDB.

 Quarto: Ninguém está levando em consideração os partidos do tamanho do PP, PR, PSC, PRB, PDT, PSDB, PMN, PDS, PDSB, PTN e outros de corrente independente que podem formar uma terceira via de estremecer o Município, dentro de uma proposta de reconstrução, de fazer a diferença sobre tudo já visto em termos de gestão. Isto é possível. Muito possível!

 Quinto: Para quem está no mercado político da cidade, o PT não pode ser contado como adversário de ninguém para vencer as eleições. Destravar rejeição dessa monta e acelerar uma aprovação acima de 10% é uma missão quase impossível. PSB e PV e mais um e outro partido podem ficar com o petismo apenas por fome de se alimentar da proporcional. O que passar disso é apenas construções de palavras com interesses de formatar contra-informações.

Último: Em tempo: tenho 2% de intenção de votos. Minha meta é 1% ao mês até abril. Estou preparado para o embate e para o debate.

Crime organizado em família no Munícipio de Kenney-ES

Por Jackson Rangel, jornalista

 

Não se sabe onde vai parar o desmando na pequena e rica cidade de Presidente Kennedy, litoral do sul do ES. Escândalo em cima de escândalo. Agora, a sobrinha do prefeito Reginaldo Quintas (PTB), uma das mandantes do crime organizado do Município, Geovana Quintas Costalonga, acumala três secretarias, todo esquema de caixa dois e lavagem de dinheiro que passa por dentro de sua mansão na cidade, com reuniões de toda ordem criminosa.

Sem mencionar a prática explícita de nepotismo praticada pelo Chefe do Executivo, a sobrinha, por último, na sua mansão, reuniu a diretoria do time do Município e, em alto, bom som, disse aos presentes que reuniria as empresas sob influência da Prefeitura para arrecadar recursos para o Sport Clube Capixaba continuar o campeonato da Segunda Divisão Estadual.

Desconfiada diante de uma promessa de liberação de R$ 300 mil (metade seria para Rachid) pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Alexandre Pinheiro, conhecido como Xandinho, toda organização chefiada pelo prefeito recuou com medo das denúncias que começam aparecer em maior velocidade. O trato inicial era que R$ 140 mil do liberado ficariam com o esquema.

O assunto foi parar na casa, desta vez, de Reginaldo Quintas, que teve conhecimento do valor de R$ 300 mil e prometeu arrumar uma forma de liberar. Sugeriu até uma Associação ou ONG sem fim lucrativo para lavar o dinheiro do time de futebol. Como tinha muita gente envolvida, comissão técnica, testemunha, a prática comum naquele Município, com gente se enriquecendo e “laranjas” do prefeito, as fraudes e desvios têm sido inibidos, principalmente, pela presença do Ministério Público.

A Justiça mantém os bens do prefeito indisponíveis por outros crimes e a mais recente traquinagem praticada foi o afastamento do vice, por Reginaldo Quintas que, com maior capacidade de cinismo, emitiu uma nota de que o problema da cassação estava era da Câmara Municipal, em que maioria dos vereadores tem apadrinhados na Prefeitura, o que este jornal vai mostrar a qualquer momento.

Só o Ministério Público e a Justiça para refrearem a volúpia do crime organizado em Presidente Kennedy, antes que o povo humilde pereça, mesmo com as ações clientelistas financiadas por uma caixa de mais de R$ 200 milhões, dinheiro oriundo dos royalties de petróleo. Esta Prefeitura precisa de uma auditoria urgente!