Judiciário vem violando a liberdade de expressão


Não existe estatística, contudo, entre um e outro registro via redes sociais e mídia convencional, registro de censura contra meios de comunicacão no interior do Brasil, principalmente, sob a égide da tutela antecipada, liminar, requeriada por suposto ofendido, geralmente políticos, no sentido de impedir qualquer notítica negativa contra o impetrante. Trata-se da institucionalizada mordaça encoberta por redoma jurídica.

Em cidades pequenas e médias, com Imprensa próxima dos agentes públicos, onde estes adentram às redações como se fosse extensão de seus escritórios, intimidam e ameaçam jornalistas. Invocam juízes mal intencionados que propalam sentenças extrúxulas de presunção dos crimes de calúlia, injúria e difamação. É a chamada lacuna da lei, para introduzir tal  interpretação, esta sim, crimimosa.

Os poderosos, ainda, tratam os seus interesses como coronéis. Quem se contrapõe é tratado como gado de um curral na selva de pedra. O Estadão é um exemplo, diferente, mas possível, da grande Imprensa, punido por este tipo de censura via família Sarney. Um desrespeito ao Estado de Direito e à livre expressão, um bem,  que deveria ser intocável na construção de uma sociedade igualitária.

Se a situação está assim, degradante, na revolução tecnológica, o Brasil, por meio de seus governantes, o PT, ainda se atrevem em impor discussões sobre marco regulatório da mídia. O meio deavergonhado de se valer do poder discricionário para produzir uma açào entre amigos pela Imprensa, extinguindo sua atribuição de sentinela e arauto dos descamisados e sem vozes.

No Espírito Santo, dois veículos tradicionais, pioneiros, estão amordaçados neste momento: www.séculodiário.com.br e www.folhadoes.com , através de consórcios de políticos e “bandidos de toga”, para ocultar cadávares de inocentes assassinados por uma elite cheia de requintes de crueldade. Este País precisa se passado a limpo e isto só acontecerá com a liberdade midiática, hoje, com múltipla forma de opinar, investigar e analisar, produzindo luz à conciência do ‘Mito da Caverna”de Platão.

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira, brasileiro, natural de Guaçui, Espírito Santo, com raiz em Cachoeiro de Itapemirim. Jornalista, nascido em 1963, combativo, responsável por produção de notícias e artigos. Analista político. Evangelista. Advogado, casado com Cristiane Feu Rangel Vieira. Dois filhos: Jackson Rangel Vieira Júnior e Nayara Tristão Vieira. A Bíblia é sua regra de conduta e fé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.