PENSAMENTO PERFEITO (1)


CAPITULO I

A ORIGEM

Toda uma vida construindo palavras  em busca dos pensamentos perfeitos. Meio século para superar todas as expressões já pensadas.

Sofrer todos os dias para escrever algo sempre relativo, porquanto o absoluto nunca encontrado até hoje por todos somadores de letras.

Desafio do ser desde concepção é encontrar destino, momento a momento, fazendo backup do mundo conhecido para o HD do inconsciente.

No recôndito da alma, no lado mais obscuro, a força de encontrar a luz do conhecimento, obedecendo a sentidos não equacionados.

Encontrar frases gestadas do infinito, do nada, e depois de nascidas sepultadas – quando não inscritas, humilha qualquer pensador.

Como encontrar o pensamento perfeito, se a imperfeição está injetado em cada partícula da vida, holisticamente? Está no pecado?

Em cada esquina, uma paixão de qualquer tipo dominante. Mas, somente no final da rua é possível encontrar o amor no seu único eu.

A ortografia, a gramática e toda linhagem idiomática não possuem nenhuma relação com o pensamento perfeito. O erro pode fazer parte dele.

Desistir de encontrar a vida em uma frase é suicídio, porque no viver  o homem quer o domínio do verbo, no saber ou na ignorância.

Não encontrar o pensamento perfeito é abraçar a morte e sentir que não vale à pena sobreviver para existir tão precariamente.

Invenção de tudo que na terra há, resume-se em desejo racional e instintivo de conhecer-se. Assim surgiu a palavra felicidade.

Até no prazer mais trivial ao mais promíscuo, encontrar este sujeito realizaria a fantasia da carne e, ainda, alimentaria o espírito, sem a culpa.

Duro crédulos e confessores da fé arguir se existe tal riqueza no alfabeto? Ou  no caos, acha-se a ordem em que se é possível o impossível?

Cansativo dia após dia entender razões dos fatos sem lógica. Pior a sombra da caverna e o medo de se virar e cegar-se ainda mais.

A conta do envelhecimento da pele é angustiante e enigmática. No espaço e no tempo, a limitação  é incômoda e fronteira a ser vencida.

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira, brasileiro, natural de Guaçui, Espírito Santo, com raiz em Cachoeiro de Itapemirim. Jornalista, nascido em 1963, combativo, responsável por produção de notícias e artigos. Analista político. Evangelista. Advogado, casado com Cristiane Feu Rangel Vieira. Dois filhos: Jackson Rangel Vieira Júnior e Nayara Tristão Vieira. A Bíblia é sua regra de conduta e fé.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.