O “Grito de Mansur”

foto Mansur
Mansur não suportou os atropelos nas pautas e exigiu um basta

A surpresa da sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Cachoeiro de Itapemirim-ES foi uma reação atípica do socialista Higner Mansur. Ele é visto como um gentleman da política cachoeirense, de fala articulada, culta e literária, porém da tribuna deu um soco acompanhado de um grito que foi ouvido em todos os quadrantes do prédio da Casa de Leis.

Quem presenciou deu um sobressalto e fitou os olhos em suspense pela boca tem quem veio. Foi um grito de protesto, literal, figurativo e metafórico. Foi uma sinalização contra o atropelamento das pautas de projetos que ludibriam os trâmites normais ou morais. Sua indignação foi bem entendida.

Essa sessão será marcada, talvez, historicamente, como “O Grito de Mansur”. O recado foi assimilado pelos colegas. O pequeno grande parlamentar aceita perder no plenário, sem espernear, contudo, dentro do arcabouço regimental, constitucional e da Lei Orgânica.

Depois do “Grito de Mansur”, ninguém sabe de que forma pode ser expressada a sua próxima indignação.

Mesa diretora volta atrás e nega homenagem a Lula

Depois de um dia de polêmica sobre proposta de deputados em homenagear o ex-presidente Luiz Inácio Lula, a mesa diretora da Assembléia Legislativa do Espírito Santo suspendeu a honraria sob pretexto de disputa eleitoral acirrada que prejudicaria a a Lei instituída para este fim. A saída foi diplomática por conta de possível repercussão nacional com maior estrago para o petista. Leia o documento da Mesa Diretoria:

cortado

Bom ressaltar que, pela indicação do ex-deputado Cláudio Vereza (PT), o presidente Luiz Inácio Lula recebeu o título de cidadão espirito-santense, honraria recebida das mãos do parlamentar autor e do governador Paulo Hartung:

6c458f2f-25be-4103-b857-cc896eca123d
Cláudio Vereza, Lula e o governador Hartung

Sérgio Majeski contra homenagear personalidades condenadas pela Justiça

projeto-do-deputado-sergio-majeski-propoe-endurecer-sancao-para-quem-se-ausentar-de-comissao_620_
Deputado Majeski contra homenagear políticos ou personalidade condenadas

O deputado estadual Sérgio Majeski (PSDB) acaba de postar em suas redes sociais sua iniciativa de revogar homenagem ao presidente Michel Temer (PMDB), ao senador Aécio Neves (PSDB) e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula (PT).

O projeto que concede cidadania Espirito Santense ao Lula AINDA NÃO FOI VOTADO! Ontem (20/11/17), o projeto foi apenas lido, agora precisa dos pareceres das comissões para depois ser votado em plenário, isso se o projeto tramitar conforme o regimento da ALES.

“Votarei contra, pois tenho um projeto de Lei, protocolado em 2016, e que está parado nas comissões e que ainda não foi votado, proibindo homenagens desse tipo a qualquer pessoa que já tenha sido condenada.”

Em tempo, a Mesa Diretora da Ales está concedendo ao Lula, também, o “Ordem do Mérito Domingos Martins” (Diário Oficial 20/11/2017), a mais alta honraria concedida pelo Estado, e que também já foi oferecida no passado para Temer e Aécio.

“Hoje protocolei um Projeto de Resolução pedindo a revogação da honraria concedida a Temer, Aécio e a Lula”.

Deputado votará contra homenagear Lula

800
Deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) se manifestará contra homenagear LULA

O deputado Enivaldo dos Anjos (PSD) declarou, hoje, 20, que votará e se manifestará contra a proposta de conceder título de cidadania espirito-santense e de conceder Comenda Domingos Martins aos ex-presidente Luiz Inácio da Silva.

Lula já tem o título, concedido pela Lei 9179/2009, de autoria do então deputado Cláudio Vereza. Porém, a manifestação do parlamentar não está ligada à sobreposição da homenagem e, sim por conta da falta de merecimento que macula a Comenta.

Mesmo que a maioria dos deputados homenageiam o ex-presidente, só o fato de não haver unanimidade na congratulação – fato raro – , o constrangimento já estará posto e deixará o homenageado em situação desconfortável, muito desconfortável.