Por que a Prefeitura de Kennedy-ES, a mais rica, atrasa dois meses de salários?


amanda
Amanda Quinta e José Augusto (noivos) administram um PIB 30 vezes maior que a média do Brasil. Entretanto, deixam atrasar os salários dos servidores em mais de dois meses

Com a maior renda per capita do Espírito Santo e do País – PIB 30 vezes acima da média nacional -, a Prefeitura de Presidente Kennedy, sul do ES, mantem desde final do ano de 2017 os salários atrasados em dois meses dos seus servidores comissionados e efetivos.

Porque um Município tão rico não se desenvolve e tem sua máquina funcional precária? A resposta, para quem conhece os bastidores, resume-se no investimento ilegal em obras superfaturadas para compra de votas nas eleições de 2016, ainda em investigação.

Desde da sua posse, Amanda Quinta (PSDB) e seu noivo, José Augusto, – secretário de Gabinete – investiram em obras condenadas pelo Tribunal de Contas que produziram caixa para sua reeleição. Gastos exorbitantes, uma eleição milionária para uma 11 mil votantes. A Justiça Eleitoral, pelo que se sabe, não deu veredito final sobre as denúncias.

Enquanto os 511 servidores efetivos e comissionados seguem com salários atrasados, a Prefeitura continua fazendo contratações temporárias, atos administrativos que poderiam ser contidos pelo Ministério Público enquanto não se coloca em dia os vencimentos funcionários sacrificados.

 

 

 

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira é Jornalista investigativo, analítico e opinativo no Espírito Santo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.