CHEGA DE FARSA – Por Renato Casagrande, ex-governador do ES


casagrande300300
O governador Paulo Hartung teve da população capixaba a honra de ser eleito em 2014. Foi escolhido na expectativa de que faria uma gestão buscando melhorar a vida das pessoas.

Mas o que se viu, de 2015 até aqui, foi um governador e um governo com práticas atrasadas. Tentou e tenta, a todo custo, responsabilizar nosso governo por sua inoperância, querendo justificar o fato de ter paralisado todas as obras e programas sociais no estado.

Buscou usar a Assembleia Legislativa como chicote para me atingir, com a tentativa de rejeitar as minhas contas de 2013 e 2014. Importante informar que essas contas foram aprovadas pelo Tribunal de Contas, sem nenhuma ressalva.

Deixei aproximadamente 2 bilhões de reais em caixa. O comprometimento com a dívida pública (em uma escala que vai até 200%) era de apenas 26% e folha de pessoal estava em dia e atendendo a Lei de Responsabilidade Fiscal.

Deixei uma gestão sem nenhuma denúncia de corrupção. Ao olhar o Rio de Janeiro, pode-se constatar, em grande parte, que lá a situação é caótica pelo resultado desastroso herdado pela administração atual da anterior.

Aqui, mesmo tendo encontrado um estado totalmente organizado, o governador cortou despesas sem critério, deixando capixabas sofrendo a espera de um leito hospitalar; desorganizou a segurança pública; fechou escolas; e acabou com os programas na assistência social. E, para que isso? Para tentar diminuir a minha imagem de gestor público comprometido com a responsabilidade fiscal.

Todas as auditorias independentes do estado e do país comprovaram a boa saúde financeira do Espírito Santo em 2014. E tudo isso sem comprometer os investimentos. Afinal, é para isso que serve o Estado.

A velha fórmula do Salvador da Pátria, que muito já foi usada nesse país, não funciona mais. A sociedade hoje tem capacidade de discernir e acompanhar a evolução dos tempos. Mesmo assim, ele insiste nessa farsa.

Hoje, em sua última prestação de contas anual do mandato à Assembleia Legislativa, disse que fará, durante este ano eleitoral, tudo o que não fez nos três primeiros. Como em um passe de mágica, tudo agora vai ser possível.

O que se viu naquela sessão foi um espetáculo de arrogância e prepotência, características desse governador que, por intransigência, acabou permitindo que mais de 200 capixabas perdessem suas vidas em fevereiro de 2017.

Esse comportamento narcisista, que isola a população com seus problemas, que julga todas as pessoas incapazes e desprovidas de inteligência, que amedronta e impõe, definitivamente eu jamais terei.

Renato Casagrande

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira, brasileiro, natural de Guaçui, Espírito Santo, com raiz em Cachoeiro de Itapemirim. Jornalista, nascido em 1963, combativo, responsável por produção de notícias e artigos. Analista político. Evangelista. Advogado, casado com Cristiane Feu Rangel Vieira. Dois filhos: Jackson Rangel Vieira Júnior e Nayara Tristão Vieira. A Bíblia é sua regra de conduta e fé.

Um comentário em “CHEGA DE FARSA – Por Renato Casagrande, ex-governador do ES

  1. Muito bem colocadas as palavras do ex. Governador Casagrande, está na hora do eleitores valer o seu voto e botar esse farsante para fora do governo.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.