Capítulo 2: A Ida e A Volta


Tornar-te incomum quando sai do nada e ascende ao tudo. Seria eternamente grato se nunca mais voltaste do tudo para o nada.

A vida na sua missão punitiva transforma as formas vivas em formatos sanfonas. Gordo e magro. Dias fáceis e dias muito difíceis.

Pessoas desaparecem todos os dias. Os dias desaparecem com elas. Gente que planejou por toda existência ir para ficar. Porém, sempre volta.

Como gangorra, o destino parece reto e certo. No entanto, a unidade de tempo e espaço quando ignorados é o elemento do regaço.

O antagonismo está por toda parte. Na ida pode estar o mal ou o bem. Na volta vem junto o cansaço, o medo, parte do céu com um punhado de sal.

A ida sempre é mais difícil. Exige coragem de mudar. A volta, não tão facilitador obrigado o passageiro passar pelo mito do Vale da Dor.

Publicado por

Jackson Rangel

Jackson Rangel Vieira é Jornalista investigativo, analítico e opinativo no Espírito Santo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.