governo dava acesso à DAHUA através de links oficiais

A denúncia enviada hoje, 13.04, terça feira, por fontes sigilosas mostra que Vitor Murad criava links oficiais do governo e liberava acesso à empresa chinesa.

Com isso, ela via documentos sigilosos da licitação, fazia download e depois inseria os arquivos modificados por ela para direcionar o certame em seu favor.

Murad é Coordenador de Inovação e Tecnologia da Secretaria de Governo, cargo criado para concentrar poderes sobre licitações milionárias na área de Ti. Ele é homem de confiança e operador do Secretário Tyago Hoffmann e do Governador do Estado Renato Casagrande.

Na denúncia, há várias fotos de mensagens e arquivos da direção da empresa chinesa feitos por ela dentro do link oficial do governo do Espírito Santo. Eles baixavam e depois respondiam com as alterações que queriam. O governo usava as versões da DAHUA na construção da concorrência.

As fontes pedem perícia nos drives oficiais, para descobrir quem do governo liberou o acesso, que computadores de fora tiveram acesso (IP) e confirmar os documentos em seu conteúdo (sigilosos do governo e refeitos pela DAHUA).

As mesmas fontes afirmam que a comissão de licitação não produziu nenhuma documentação do certame, somente a DAHUA, desde a consulta pública.

Por isso, desafiam o governo a fazer perícias em seus computadores e apresentar arquivos eletrônicos de autoria da comissão de licitação com as datas do período em que deveriam ser feitos.

Além disso, os denunciantes de dentro da própria empresa informam que há registro de entrada e saída de agentes públicos do Governo do Espírito Santo na sede da DAHUA em São Paulo, como Vitor Murad.

Segundo eles, isso pode ser comprovado pelo registro de entrada e saída e câmeras de videomonitoramento.

O documento mostra que em vários Estados a empresa chinesa tem atuado de forma criminosa para fraudar licitações milionárias e direcioná-las em seu favor. Mato Grosso, Rio Grande do Sul, Ceará e agora Espírito Santo.

Isso torna os crimes de repercussão estadual e atraem a atribuição da polícia federal brasileira, em concorrência com os Ministérios Públicos Estaduais.

A FOLHADOES foi hackeada hoje, 13, para não divulgar informações de interesse público. Quem tem interesse nisso, em calar o jornal? Até à divulgação dessa matéria no blog do jornalista Jackson Rangel Viera, o portal ainda estava sob manutenção técnica por causa da invasão.

Por isso, até nossos programadores interromperem o hackeamento, esse link cumprirá a missão jornalística da FOLHADOES de informar em tempo real as últimas informações sobre o escândalo do pen drive da propina.

Os jornalistas não se intimidarão diante do maior caso de corrupção da história de um governo capixaba, o que resulta em riscos reais as suas integridades físicas e psicológicas.

Leia a íntegra da denúncia enviada hoje, 15:

https://drive.google.com/file/d/1HR9xgkFT0kIQN6gm1meboYNY00bOKr7i/view?usp=sharing