Capitão Assunção alerta sobre risco de vida aos denunciantes

O deputado estadual Capitão Assunção (Patriotas) (foto) por duas gravações distintas, porém sobre o mesmo assunto, alertou sobre a integridade física do autor deste texto, jornalista há 40 anos, responsável pelo FOLHADOES por 35 anos, porquanto da denúncia de um dos maiores escândalos da história do Espírito Santo: a montagem de uma licitação de R$140 milhões por uma empresa chinesa que se instalou dentro do Detran-ES.

O jornalista foi ameaçado por uma nota oficial do Governo do Estado, nominalmente, cujo teor defende a licitação vencida pela empresa chinesa e defenestra o jornalista, expondo-o ao fanatismo da esquerda que viciaram transformar críticas e denúncias em fake news para blinda a corrupção debaixo do guarda-chuva da impunidade.

“Quando se mexe com bandidos é preciso proteger seus alvos”, declarou uma das vezes o parlamentar perseguido pelo Governo do Espírito Santo que montou um Gabinete do Ódio e valendo de todo aparelhamento da máquina pública para constranger, intimidar e até matar. O próprio deputado corre risco de vida pela pujança em que combate o crime organizado revigorado pelos cardeais do PSB.

O jogo é bruto e a situação é grave, afinal está em pauta, supostamente, algo em torno de R$ 40 milhões de propina em ano pré-eleitoral.

Marcos do Val, um senador reticente para os capixabas

A atuação do senador Marcos do Val (ES), como neófito de meio mandato, ainda é uma reticência para os capixabas.

Candidato do PPS, Marcos do Val obteve 863.359 votos totalizados (24,08% dos votos válidos). Rapidamente, deixou o Cidadania e ingressou no Podemos. Uma armamentista nato pela própria formação. Bom para o presidente Jair Bolsonaro.

A reticência é a ligação dele com o Palácio Anchieta via assessoria, segundo o próprio classificada como “qualificada”, está lá por meritocracia . No episódio do Pen Drive, por exemplo, ele mesmo, pegou um texto do Governo enviado para sua milícia digital, para ajuda na propagação de era que era “fake news”.

Em ato contínuo, o Ministério Público Estadual suspende a licitação do Detran-ES de R$ 140 milhões porque os indícios não eram de notícias falsas. Ora, MP não para paralisa certamente desta monta sem evidências mínimas. Primariedade do senador.

Em linhas gerais, Do Val não encontrou, ainda, uma bandeira em que os seus eleitores identifiquem como essencial. Sua estatura pode aumentar ou não com a continuidade do mandato. Precisa passar pelo trauma da Imprensa que lhe foi útil na eleição e para a reeleição, será mais ainda.