Afinal, quem é normal?

São 2h19 da manhã do dia 05 de maio de 2022. Horário da primeira teclada. Pois bem! Há muita confusão no mundo de antes, de agora, e também no porvir. Afinal, existem seres racionais e irracionais andando por aí! As regras para estabelecer algum controle moral e ético pela perspectivas de seus autores, ao meu ver, limitam o expansionismo mental.

Essa limitação behaviorista, de observar os elementos subjetivos, contribui para o avanço das maiores idiotices comportamentais. O sistema está à beira da implosão. As pessoas estão em um campo de perguntar-se: “sou normal? Por qual parâmetro? Qual a referência digna de confiabilidade para ofertar um diagnóstico por conta dessa histeria coletiva.

A saúde mental é negligenciada em toda organização cultural que se pode ter notícia. Cuida-se do corpo muito mais por exigência dessa loucura em chegar ao ápice narcisista como modo de aceitação e inclusão nesse hospício chamada mundo. A religião e a psiquiatria são irmãs siameses captadoras de lóbulos adoentados que internam pacientes em prisão eterna. Prometem a cura, a normalidade, o padrão aceitável. Você que chegou até aqui lendo este texto é normal?

Uma pessoa normal, pelo meu olhar, é aquela que ama o próximo – independente da expressão ser religiosa – Quando se importa mais com o outro do que consigo mesmo, então, deduz-se que esse eu empático está muito adiante do que a maioria sobre compreender o significado da conexão de todos os fragmentos do espaço e do tempo como um só elemento regente fora da caixa de pandora.

Entendeu? Se entendeu, você é normal!

A dúvida do existir

Penso que a maioria dos quase 8 bilhões de pessoas não exerce suas funções plenas em direção à vontade de viver. Apenas, resiste e tem medo do antagonismo, a morte. É diferente entre a satisfação pela vida e a insegurança e a dúvida sobre o além do último respiro.

Os mais corajosos se matam, mesmo sendo chamados de covardes. Os medianos preferem não ousar a tanto ainda que já perderam o sentido e o entusiasmo de existir pelos corredores dos múltiplos sentimentos vagantes dentro de si, sem compreender o propósito.

Não tenho dúvida que a melhor fase do tempo, com raras exceções, era o da irresponsabilidade juvenil, cujos medos se limitavam a lendas urbanas e contos dos pais para disciplinar alguns impulsos fora da tradição. A inocência é bela, espetacular!

A linha do tempo adulta foi se tornando um sacrifício, por vezes, sem margens racionais. Há uma degeneração moral. O hábito vicia e mata até a lembrança do primeiro arrependimento. Tudo fica comum, normal. Exala uma sensação do fim de limite. Viu, ouviu, tocou, cheirou e degustou o mal e o bem em toda sua forma. Seria como voltar ao Paraíso após o diálogo com a serpente.

A vontade de viver perde para o medo da morte. Por isso, a resistência. O desconhecido apavora. Logo, a falta de empatia para uma geração inumana progressiva para o estágio animalesco, instintivo. O ponto: uma espécie mata a sua espécie por um celular como um tipo de regresso à caverna de Platão.

Quando morrer é viver

São 5h00 da manhã do dia 07 de abril de 2022. Eu pensava que dormir era uma perda de tempo, um estado de morte com respiro. A medicina diz ao contrário. A necessidade de dormir é obrigatória. Bem! existem muitas pessoas que sofrem da síndrome do drácula.

Os pensamentos noturnos, em geral, são inspiradores para enxergar a vida mais triste pelo acordar com a inerente responsabilidade de compromissos e responsabilidade. Alguns chamam isto de ansiedade, estresse, depressão e causas assemelhadas de dormir acordado.

Dormir é estar morto para o otimista. Para o pessimista, o viver é a própria vontade de morrer. No meu caso, sempre fui noturno. Se andar comigo, pode acordar de cabeça para baixo. A fina flor do auto conhecer, acho, acontece na solidão da noite para a madrugada até ao amanhecer.

Quando o HD está cheio é preciso descarregar em outra mente. Essa transferência não é fácil. Entornar suas emoções e sentimentos, parte, só um transplante tridimensional ainda não descoberto. Logo, você sente que o limite é o fim da missão, da jornada, sem mais destino.

Por isso, não dá para julgar como atitude covarde aquele (a) que desiste de dormir e acorda. Quando a repetição das luas e dos dias são rotinas de um ser sem perspectiva, então, de fato, morrer é viver na passagem para a linha infinita do tempo. A maioria quer ficar. Outra parte quer ir embora.

No fundo, você percebe que não tem mais corações e que existe um tempo ilimitada para seus parcos sentidos. Por isso, a ambição de querer tocar, obter, ter e não envelhecer. Aos mais desapegados aos instintos primitivos, o conformismo, mesmo doloroso, produz resultado mais nobre para esperar o não existir.

A mão que embala o berço

São 04h20 da madrugada do dia 8 de março. Você é o que você fala ou escreve. O verbo é vivo em estado expansivo em todos os sentidos para a definição da vida. Por causa de mitos e lendas, processo de condicionamento social, a palavra nos define. Se cada um prestasse atenção no que ouve e no que expressa em caracteres escritos ou pensados, talvez, a sociedade seria hospício. A mulher com essa áurea de infinitas paletas de cores equilibra os elementos do caos. O texto, mesmo sisudo, homenageia todas as mulheres dentro de um olhar limitado.

O contencioso religioso e legalista reprime a face humana horrorosa e, ao mesmo tempo, o lado sublime adormecido dentro de cada um. A mulher é a prova viva disso, do poder e da glória desde o primeiro soletrando à cria gestada em seu ventre. São conversações iniciais. Desse diálogo podem surgir combinações quânticas lineares desde à paralisação da rotação da terra até à reinvenção do embrião na sua escalada de enfrentamento com as suas próprias escolhas.

“A mão que balança o berço é a mão que governa o mundo”, frase do famoso poema de William Ross Wallace, de 1865.Sim, preste bem atenção no pronunciamento das mulheres, em cada sílaba. Só o fato da humanidade não existir sem ela, seu protagonismo confunde Adão que abdicou da sua missão de cuidar dela no Éden. Na triangulação das palavras, a serpente venceu o descuido do homem. Então, o castigo de Eva foi de parir a humanidade. Aqui estamos!

As mulheres são mais inventivas e criadores de mundos. Os homens as desnudam com os olham, enquanto elas os devoram com mais de cinco sentidos. Sim, sua capacidade de emitir pensamentos audíveis, gritando ou em silêncio, incendeia um bosque e muda o curso da natureza.

As mulheres são amáveis na recíproca e imperdoáveis na mesma mutualidade. Elas não somente inspiram poemas. São os próprios versos. A palavra define o caráter. Filhos, prestem atenção ao que elas falam desde do primeiro engatinhar. Errarás menos e sentirás menos dor. Aprenderás o valor da palavra e seus efeitos. Conhecerá o significado do amor.

O pensamento. A palavra. O hábito. O caráter. O destino.

Amaldiçoou o governador e sua trupe

São 1h35 da madrugada do dia 19 de fevereiro. Está escrito na Palavra Sagrada que a Vingança é de Deus. Tipo, deixa pra lá, nas mãos do criador, o Juiz infalível com sentenças e decisões irrecorríveis. Contudo a maldição pode ser proferida pelo homem na sua incapacidade de lidar com sua imperfeição e com injustiças.

No mesmo piso desse inferno na superfície da atmosfera e mesmo além, alguns altivos seres humanos evitam amaldiçoar o próximo como proteção do princípio divino de amá-lo. Porém, tem quem ame até os inimigos, mas não os inimigos perversos e pervertidos, cruéis na excessiva força de fazer o mal, longe da conversão.

Eu respeito o Criador e submeto-me aos ensinamentos de Jesus, entretanto vou me permitir invocar qualquer maldição que recaia sobre o governador Renato Casagrande (PSB); seu braços direito Tyago Hoffmann; sua Advogada Luciana Andrade; o invertebrado Weidson Ferreira; o prefeito de Cachoeiro-ES, o ventrículo Victor Coelho; e os comparsas.

Essas pessoas terão mortes com deprimentes; fim de muita dor; e uma vida miserável pela utilização de ferramentas preparadas contra mim e minha família de modo covarde, ignorando a força de nossa dignidade e honra. Amaldiçoados sejam todos eles. Eu assistirei, nesta vida, como implorarão por morrer, morte sem sorte. São vermes! Suas tendas vão ser lares de dores intermináveis a partir de agora.

Sejam consumidos pela escuridão de suas almas, pelos assombros dos espectros invisíveis e trituradores de carnes trêmulas. A vingança é de Deus e a paga nesta terra que se derrete entre em erupção, desfragmentando a arrogância e orgulho dessa gente que são adoradores da mentira e discípulos de Adikia.

Eu amaldiçoo todos eles e todos que estão com eles contra a minha casa e a minha família. Amaldiçoados sejam! Que a vingança de Deus venha antes do agouro aqui lançado. Não adianta mais orar por eles. São opositores declarados do Espírito Santo, cujo pecado não tem perdão. Mexeram com a pessoa errada, predestinada. Se rirem, apodreçam!

Alguém cético dirá: eu não acredito na ousadia deste jornalista! Pois creia! E aos que se opõem, viajam para o mesmo destino, porquanto já vi muitos passarem diante dos meus olhos os olhos esbugalhados e sem vida.