Prefeita de Kennedy e prefeito de Marataízes correm risco de cassação

amanda e tininho
Amanda Quinta e Tininho estão sob investigação na Justiça Eleitoral por compra de votos

Em breve, a Justiça Eleitoral julgará casos de fraudes e compras de votos dos prefeitos de Marataízes, Tininho (PRP); e de Kennedy, Amanda Quinta (PSDB), respectivamente. Os dois usaram do mesmo expediente semelhantes para cooptação ilegal de votos, segundo denúncias apuradas pela Polícia Federal.

O caso do prefeito de Marataízes tem agravante da utilização de laranjas, com possível conivência de gerente bancário, para pegar empréstimos com objetivo claro de financiar a campanha eleitoral de 2016. São pessoas que teriam emprestados os CPFs, sem nenhum lastro, para repassar ao então candidato.

No caso da Amanda Quinta, o Tribunal de Contas constatou cerca de R$ 500 milhões em obras superfaturadas em período eleitoral. Tramitam acusação de compra de votos. Em decorrência dessa extravagância ilegal, o Município está impedido de aplicação de recursos dos royalties até sanar as irregularidades.

Nos dois casos, o Justiça Eleitoral de Marataízes, responsável pela zona dos citados municípios, a Polícia Federal já ouviu cerca de trinta pessoas em Presidente Kenedy e prossegue em Marataízes com oitivas, com o caso delicado de uso de laranjas ligados ao prefeito para empréstimos forjados para uso eleitoreiro.

 

Por que a Prefeitura de Kennedy-ES, a mais rica, atrasa dois meses de salários?

amanda
Amanda Quinta e José Augusto (noivos) administram um PIB 30 vezes maior que a média do Brasil. Entretanto, deixam atrasar os salários dos servidores em mais de dois meses

Com a maior renda per capita do Espírito Santo e do País – PIB 30 vezes acima da média nacional -, a Prefeitura de Presidente Kennedy, sul do ES, mantem desde final do ano de 2017 os salários atrasados em dois meses dos seus servidores comissionados e efetivos.

Porque um Município tão rico não se desenvolve e tem sua máquina funcional precária? A resposta, para quem conhece os bastidores, resume-se no investimento ilegal em obras superfaturadas para compra de votas nas eleições de 2016, ainda em investigação.

Desde da sua posse, Amanda Quinta (PSDB) e seu noivo, José Augusto, – secretário de Gabinete – investiram em obras condenadas pelo Tribunal de Contas que produziram caixa para sua reeleição. Gastos exorbitantes, uma eleição milionária para uma 11 mil votantes. A Justiça Eleitoral, pelo que se sabe, não deu veredito final sobre as denúncias.

Enquanto os 511 servidores efetivos e comissionados seguem com salários atrasados, a Prefeitura continua fazendo contratações temporárias, atos administrativos que poderiam ser contidos pelo Ministério Público enquanto não se coloca em dia os vencimentos funcionários sacrificados.

 

 

 

Prefeita apoia molestador de criança

Luciano Ribeiro e Amanda Quinta
O molestador de criança Luciano (E) tem tido o apoio e a proteção da Amanda

A prefeita da cidade de presidente Kennedy-ES, com cerca de 11 mil habitantes, Amanda Quinta (PSDB), pasmem, apóia molestador de criança. A FOLHA DO ES denunciou no dia 15 de julho flagrante conversa em rede social do agente de enfermagem comissionado na Prefeitura Municipal, Luciano Ribeiro, e nenhuma providência foi tomada, nem uma correição administrativa.

A conivência com o escroto do assediador de criança tem motivos. Ele faz parte da claque raivosa da prefeita nas suas pretensões de poder. Trata-se de caso hediondo, com requinte de crueldade contra indefeso em diálogo nojento e criminoso. Nem ato administrativo punitivo, quanto mais exoneração. A vista grossa sobre essa aberração faz da prefeita tão monstruosa quanto o próprio monstro correligionário.

O diálogo flagrado entre o molestador de crianças promove ojeriza a qualquer ser humano normal:

HVCVJCMVEAR2016071515333715072016OCOPTEOPOOA2016071515333715072016HTIOXDERRR2016071515333715072016

 

Em Kennedy-ES, a disputa será entre o namorado de Amanda e Reginaldo Quinta

Por Jackson Rangel Vieira, jornalista

A situação não está fácil para o povo da cidade Presidente Kennedy-ES. Pela segunda vez, Amanda Quinta (PSDB) será uma “laranja”. Na primeira eleição, ela se elegeu com o prestígio eleitoral do tio, Reginaldo Quinta (PMDB). Depois de eleita, apaixonada, deixou seu companheiro, Zé Augusto, ser o “prefeito” de fato e pretende a reeleição dele através do nome dela no “santinho”.

Traído pela sobrinha mais nova, Reginaldo terá de encarar, agora, um estranho no ninho, forasteiro. A primeira iniciativa de Zé Augusto foi retirar Amanda da cidade para morar com ele em Apart-hotel em Cachoeiro de Itapemirim-ES, 40 quilômetros da cidade aonde vive o povo humilde e trabalhador de Presidente Kennedy. A inserção do “namorado” de amanda vira, agora, um estelionato eleitoral a ser desnudado.

A cidade não absorveu essa relação de interesses conjugados, tanto que o tio já entra na campanha polarizado com a sobrinha, mesmo por tanto tempo na planície, contra o poder do mando e do desmando do “prefeito” Zé Augusto. Apontamentos de fraudes estão entupindo o Tribunal de Contas, inclusive, sobre as obras recentes auditadas.

Existe suspeita , também, de enriquecimento ilícito do companheiro da Amanda. De um simples servidor público comissionado, virou o “amasiado” mais poderoso da região, como manipulador da “fantoche” companheira e conivente com seus atos, menos, quando o assunto é ameaça feminina. Ela exala forte ciúme de Zé Augusto, quando alguma “galinha” cisca no terreiro dela. Faz parte numa relação, o feromônio dominar.

A verdade é que será uma eleição incomum para o povo de Kennedy, pois precisará discernir entre uma candidatura “laranja” e reeleger o verdadeiro dono da “laranja” ou eleger Reginaldo Quinta, que na sua página de perfil no Facebook pediu desculpas aos kennedenses por eleger a sobrinha sem saber que ela só tomaria posse, mas quem governaria mesmo, na época (2012), seria o “namorado”.

Zé Augusto
Zé Augusto acarinhado na convenção do PSDB por uma correligionária e sua companheira Amanda Quinta (direita). Ele é quem manda e desmanda

Em Kennedy, a disputa será entre tio e sobrinha

As eleições na cidade de Presidente de Kennedy caminham para a disputa exclusiva entre a sobrinha, atual prefeita, Amanda Quinta Rangel (PSDB), e o seu tio, ex-prefeito, Reginaldo Quinta (PMDB). O pleito promete ser de baixo nível e “sangrento”, apesar dos laços sanguíneos.

A peculiaridade reside na suposta traição política sentida pelo tio que, na época impugnado eleitoralmente, estrategicamente, indicou ao seu partido na época (PTB) o nome da sobrinha poucos dias da eleição.

O resultado das urnas foi a vitória com folga, mas o grupo de Reginaldo foi relegado após sua prisão com vários aliados na denominada operação “Lee Oswald” na manhã do dia de abril de 2012. A partir de então, é guerra.

Pesquisas realizadas mostram equilíbrio entre os dois movimentos que mantém semelhança na postura administrativa no que concerne trabalhos de ações sociais. A diferença está entre a administração Robin Wood inverso de Reginaldo e a gestão contida no setor dentro da legalidade vigiada.

cats
A prefeita Amanda Quinta enfrenta o tio Reginaldo e Geovana Quinta

Importa informar, que mesmo não demonstrando vontade de disputar, o ex-prefeito Aloísio Correa (PR) não entrará na bola dividida. Só concorreria na desistência de seu ex-pupilo e sucessor Reginaldo Quinta e tendo apoio de, possibilidade remota.

Uma outra sobrinha, Geovana Quinta, que exerceu poder extremo no Governo de Reginaldo, é coordenadora dos movimentos mais ofensivos e ostensivos contra a prima. Não há limites morais, éticos e muitos menos políticos para se chegar ao objetivo.

Geovana não esconde sua obsessão de voltar à Prefeitura do Município com maior renda per capita do Espírito Santo com apenas cerca de 9.500 eleitores. A cidade é a “Arabia Saudita” da região petrolífera litorânea do Sul do Estado.

Por enquanto, as batalhas estão sendo travadas nas redes sociais com acusações pessoais de arrepiar o cabelo dos mais puritanos. Neste ano, da eleição, essa luta vai se estender em outras fronteiras, com certeza. As baixas dos “exércitos” são incertos.