Luzia Toledo é a política mais camaleônica da fauna capixaba

Deputada_Luzia_Toledo_-_Sessão_Ordinária_-_25.09.2017_(36607130404)

A deputada estadual Luzia Toledo (PMDB), nascida na pequena cidade de Mimoso do Sul, ES, parece aquela “bonequinha de luxo” – não pela beleza – , pelo esteriótipo mesmo. Navega em qualquer água, até no pântano. Aprendeu com a vida no percurso até aos seus quase 80 anos, na política mudar de lado como se muda de roupa.

Camaleônica, gruda a quem serve enquanto serve. O caso clássico foi quando pertencia à corte do governador José Ignácio que a permitiu ser senadora pelo PSDB como sua suplente. Luzia tinha passe livre para andar em todos os cômodos do Palácio Anchieta e de servir de GPS do Chefe do Executivo da época. Aonde ele estava, ela também estava. Constrangedor até.

Sua aparente fidelidade canina ao governador era ameaça ao seu futuro político com Paulo Hartung na linha da retomada do Poder Central, este vingativo e exterminador de adversários, como fez aos demais aliados muito próximos de José Ignácio. Com a falência da sua inspiração política, partiu para a sobrevivência, instinto nato.

Luzia Toledo, com seu apelo delicado e com expertise na arte de dançar conforme a música, partiu para fazer exame no laboratório do governador Paulo Hartung com a necessária transfusão de sangue – como diz no jargão popular quando uma pessoa passa a encarnar a outra -, provando sua subserviência como comprovação de lealdade.

Incrível, como animal político, sua capacidade de servir a quantos “senhores” for necessário! Nunca será uma grande liderança. Apenas uma política que existiu.

Pastor Marcos Mansur será a “noiva” das eleições de Cachoeiro-ES

O deputado estadual, pastor Marcos Mansur (PSDB), por conta da conjuntura político-eleitoral, com os tucanos em alta, será a noiva mais cobiçadas no pleito para prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES.

Mansur se movimenta como pretenso candidato, buscando conversar simpatia dos partidos políticos, óbvio, exceção do PT, a quem já foi aliado mais explícito quando vereador.

Com boa oratória, o pastor tem sonhos ambiciosos para sua carreira política. Com certeza, não abrirá mão de ser protagonista nas próximas eleições e ganhar musculatura política sem perder o mandato de deputado.

A monopolização entre o grupo do PT e do PSDB nacional ditará as passadas de Mansur. Seu desafio será ampliar o discurso fora do âmbito religioso-evangélico.

Na Assembléia, faz mandato modesto, com desenvoltura maior em apoios a movimentos sociais e eclesiásticos.

Ele sabe que não poderá contar com apoios como do presidente da Assembléia-ES, Theodorico Ferraço (DEM) e nem do seu colega parlamentar , Rodrigo Coelho (PT). São lideranças com interesses desconectados com o dele.

Pastor Marcos Mansur, pela força do PSDB, é um nome forte para 2016
Pastor Marcos Mansur, pela força do PSDB, é um nome forte para 2016

Independente dos possíveis aliados, Mansur, com a fragilidade do PT e a não entrada de Ferraço na disputa, torna-se nome forte e viável na competitividade pela cadeira de prefeito, com força do PSDB em todo território nacional.

Lula enfrenta dificuldade para transferir votos para Dilma

Pode ser : os times de Dilma Rousseff e José Serra

A disputa pela sucessão presidencial vai começar a se acirrar nos primeiros dias de abril, quando as candidaturas oficiais devem ser lançadas. Apesar disso, PSDB e PT já articulam cada passo da campanha de seus candidatos, cada um com suas particularidades e mantendo silêncio sobre algumas ações. Esse é o caso, por exemplo, dos tucanos.

Com a não confirmação dos nomes que estarão à frente da campanha, a ordem no partido é manter sigilo sobre as estratégias e articulações da campanha de José Serra à presidência da República. O presidente nacional do partido, senador Sérgio Guerra (PE), é um dos que estarão na articulação, ao lado de Andrea Matarazzo.

 Ainda sem papel definido, também estão presentes o coordenador das duas últimas campanhas de Serra, José Henrique Reis Lobo, e o vice-governador, Alberto Goldmann, que gozam de grande afinidade com o político. Já no partido da estrela vermelha, ações de comunicação e encontros com aliados já vem sendo articulados.

Os responsáveis pelas estratégias são o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, o ex-prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel, petitas mais próximo da pré-candidata Dilma Rousseff, o deputado Antônio Palocci (PT-SP), ex-ministro da Fazenda, e o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho. Fonte: Partidos

Luiz Paulo fala sobre temas relacionadas às eleições 2010