Crime organizado em família no Munícipio de Kenney-ES

Por Jackson Rangel, jornalista

 

Não se sabe onde vai parar o desmando na pequena e rica cidade de Presidente Kennedy, litoral do sul do ES. Escândalo em cima de escândalo. Agora, a sobrinha do prefeito Reginaldo Quintas (PTB), uma das mandantes do crime organizado do Município, Geovana Quintas Costalonga, acumala três secretarias, todo esquema de caixa dois e lavagem de dinheiro que passa por dentro de sua mansão na cidade, com reuniões de toda ordem criminosa.

Sem mencionar a prática explícita de nepotismo praticada pelo Chefe do Executivo, a sobrinha, por último, na sua mansão, reuniu a diretoria do time do Município e, em alto, bom som, disse aos presentes que reuniria as empresas sob influência da Prefeitura para arrecadar recursos para o Sport Clube Capixaba continuar o campeonato da Segunda Divisão Estadual.

Desconfiada diante de uma promessa de liberação de R$ 300 mil (metade seria para Rachid) pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Alexandre Pinheiro, conhecido como Xandinho, toda organização chefiada pelo prefeito recuou com medo das denúncias que começam aparecer em maior velocidade. O trato inicial era que R$ 140 mil do liberado ficariam com o esquema.

O assunto foi parar na casa, desta vez, de Reginaldo Quintas, que teve conhecimento do valor de R$ 300 mil e prometeu arrumar uma forma de liberar. Sugeriu até uma Associação ou ONG sem fim lucrativo para lavar o dinheiro do time de futebol. Como tinha muita gente envolvida, comissão técnica, testemunha, a prática comum naquele Município, com gente se enriquecendo e “laranjas” do prefeito, as fraudes e desvios têm sido inibidos, principalmente, pela presença do Ministério Público.

A Justiça mantém os bens do prefeito indisponíveis por outros crimes e a mais recente traquinagem praticada foi o afastamento do vice, por Reginaldo Quintas que, com maior capacidade de cinismo, emitiu uma nota de que o problema da cassação estava era da Câmara Municipal, em que maioria dos vereadores tem apadrinhados na Prefeitura, o que este jornal vai mostrar a qualquer momento.

Só o Ministério Público e a Justiça para refrearem a volúpia do crime organizado em Presidente Kennedy, antes que o povo humilde pereça, mesmo com as ações clientelistas financiadas por uma caixa de mais de R$ 200 milhões, dinheiro oriundo dos royalties de petróleo. Esta Prefeitura precisa de uma auditoria urgente!

Kennedy-ES: prefeito tramou a cassação do próprio vice

O prefeito Reginaldo Quintas (PTB) tramou a cassação do seu vice Edson da Rocha desde quando tomou posse. A motivação é politicamente criminosa, pois se pretende eliminar seu adversário na eventualidade dele, o Chefe do Executivo, ser afastado pela Justiça mediante vários processos de improbidade.Os vereadores cooptados com raízes genealógicas dentro da Prefeitura de Presidente Kennedy cassaram o vice por 7 x 2.

O esquema escandaloso será revelado em breve. Uma liminar judicial deve vir a galope para desmoralização do poder político e econômico.O distanciamento entre os dois aconteceu, justamente, porque o vice não aceitou a proposta de gestão do prefeito, com indícios reais de desvios de verbas públicas, superfaturamento, recusando-se a participar dos conluios e esquemas assinalados já nos primeiros meses de administração.

A partir dessa discordância, Edson da Rocha, empresário em vários municípios, e residência eleitoral em Kennedy, passou a ser perseguido por Reginaldo Quintas que, mais recentemente, requereu sua assessoria mais íntima para preparar um processo com “testemunhas” arrumadas e dos noticiários sobre ausências dos vices nas prefeituras.

Numa maldade orquestrada, encaminhou ao presidente da Câmara Municipal, Dorley Fontão,  não se sabendo da intenção deste sobre esta traquinagem, tentando a cassação do seu vice. Os demais parlamentares estão sendo acuados para aceitar uma mentira, tudo, envolvendo dinheiro, poder e sexo, pilares que movem o mundo para o bem ou para o mal.

O processo está infectado de enxertos falsos e esdrúxulos. Quem for favorável se torna comparsa do prefeito nesta empreitada maligna.A assessora jurídica do Legislativo, Ângela Barbosa, competente, por certo, vendo a fragilidade do processo e conhecendo os bastidores políticos, deve ter orientado aquela Casa de Leis para não suscitarem aberrações que podem desmoralizar os vereadores, induzidos ao erro pelo apelo pusilânime do prefeito, em interesse próprio. Ela é competente e de moral ilibada!

O Juiz Edmilson Souza Santos tem sido guardião dos interesses públicos naquele Município, dos bons costumes e da ordem jurídica do Estado de Direito. O prefeito, por enquanto, vem violando nos bastidores todas as regras morais de um gestor até ser contido pela sua própria volúpia sobre o caixa do dinheiro dos royalties, e pela promotoria sempre vigilante.

O prefeito e sua assessoria mais chagada sabem como eu sei dos detalhes dessa conspiração! Não é novidade que os vice-prefeitos formam chapas – e Reginaldo sabia da vida empresarial do Edson – e quando incompatibilizados passam ao largo das Prefeituras. E não se tem notícia que um vice tenha sido cassado por ausência.

 Na primeira pessoa, afirmo: é uma fraude. E não termina ai. E quando começo, sempre termino uma denúncia. Alguns pagam para ver, no entanto, nunca decepcionei os leitores deste jornal, com ousadia e coragem de praticar jornalismo opinativo, analítico e investigativo. O povo de Kennedy merece mais respeito e um prefeito que não tenha desvio de conduta em todos os aspectos da moralidade.