32 ANOS DA FOLHA SEM SE DOBRAR

Parece que foi ontem 1º de março de 1990. Desde do nascimento nunca se dobrou a grupo político ou econômico, a nenhum movimento antidemocrático. Enfrenta até hoje um sistema policialesco que almeja criminalizar a opinião e a liberdade de expressão. Essa perseguição sistêmica deriva da sua linha editorial: investigativa, analítica e opinativa.

Os consórcios integrados por desafetos da verdade ficam incomodados com a existência da FOLHA. Alguns juízes, a banda ruim, ofertam ao stabilisch proteção draconiana por meio de liminares de censura, tutelando a liberdade sagrada de informar. A FOLHA tem sido alvo preferido dessas “jabuticabas” jurídicas. Invertem e pervertem a ordem.

Os criminosos, geralmente, agentes públicos, aproveitam-se do analfabetismo desses poucos magistrados no Espírito Santo, para tentar calar um dos maiores pilares do Estado Democrático de Direito: A Imprensa. No caso, a FOLHA no que pese essa análise em particular sobre si.

Esses guardiões da lei não sabem nada sobre estilo: jornalismo Opinativo, Analítico, Investigativo, com uso de figura de linguagem, palavras caricatas, potencializadas; editorial, coluna; crônica, enfim, vale, e têm togados insipientes para compreender, até mistura de tudo num só texto para desenhar em linguagem simples as informações de interesse público. Ora, no mercado do jornalismo quem não tem credibilidade não se estabelece. 32 anos!

A FOLHA já passou por muitos quebra-molas na linha do tempo. No Espírito Santo, sem nenhuma dúvida, o jornalismo em destaque sofre com os predadores da liberdade de expressão que almejam a inexistência do veículo. Contudo, a verdade tem sido sustentáculo da FOLHA, às vezes, acusada de antecipar os fatos por interpretar personagens, tempo e espaço.

A Associação Brasileira de Imprensa (ABI) tem sido uma entidade incentivadora e protetora do direito da FOLHA de praticar o seu jornalismo ousado. Ministros do STF e outras instituições sérias, como a OAB, estão com a FOLHA na manutenção dos direitos civilizatórios e humanitários.

Essa gente que forjam narrativas e misturam verdades com mentiras para avalizar as maldades de alto preservação do poder a qualquer custo ainda vai enfrentar o “Tribunal de Nuremberg”.

Em síntese, a FOLHA não tem nem o direito de errar na concepção tacanha dos desafetos do livre pensamento. Sim, a FOLHA é independente. Seus detratores têm obsessão por saber quem são as fontes desse portal de notícias que antecipa as sujeiras debaixo dos tapetes de colarinhos brancos, malfeitores.

A FOLHA sobrevive de parceiros e colaboradores que nada exigem do jornal. Antes, admiram o destemor desse jornalismo sem cabresto para combater a impunidade. Incentivam o jornal a cumprir a missão que o diferencia de muitos iguais, alcunhados de chapas brancas. Praticam colunismo social.

A um preço alto de custo, sim, a FOLHA completa 32 anos.

Miriam Leitão tem praticado um jornalismo “porco”

Miriam Leitão

Fui surpreendido hoje, dia 17, com o comentário da jornalista capixaba na Rede Globo, Miram Leitão, fazendo paralelo estapafúrdio e, supostamente, encomendado, entre o ex-governador Paulo Hartung (sem partido) e o atual Chefe do Executivo, Renato Casagrande (PSB).

Com aquela voz robótica – que às vezes dá boot – , ela teve a coragem de definir o que considera bom e mau gestor, citando o Espírito Santo. Exaltando o ex-governador Paulo Hartung, pela nota “A” nas finanças públicas, em ato contínuo desanca o socialista Casagrande.

Ela disse que a lei de anistia dos PMs e a reintegração dos mesmos com salários repostos é o exemplo de gestão temerária e do mau gestor, numa referência clara ao governador Renato Casagrande que se destacou na governo anterior como o melhor executivo na Segurança Pública.

Foi de amargar assistir a jornalista, que já presta serviços de opinião positiva ao ex-governador Paulo Hartung há décadas, por assim, então, analisa-se a prática de um jornalismo “porco”, impuro, manchado e mercantilista. A colega está em fim de carreira, quase parecendo caquética.

Depois daquele episódio bizarro e da desmoralização em que foi submetida pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), deixando-a em semelhança com ritualistas mediúnicas, Miriam Leitão deveria fazer auto-crítica e parar de utilizar seu CNPJ com fins de exaltar o ridículo e atacar o que nada sabe.

Jonas Nogueira faz vídeo da sua prestação de contas como prefeito interino

jonasevictor
Jonas Nogueira sendo empossado interino pelo prefeito Victor Coelho

No domingo (11), ultimo dia de sua interinidade, o vice prefeito Jonas Nogueira (PP), de Cachoeiro de Itapemirim-ES, lançou para os internautas vídeo de prestação de contas de 11 dias de ação executiva à frente da Prefeitura Municipal.

Durante os 11 dias, enquanto o prefeito Victor Coelho (PSB) estava em missão intercambial com empresários da China, Jonas Nogueira cumpriu agenda positiva, visitando bairros, secretarias, escolas e unidades de Saúde.

Veja o vídeo:

 

Prefeito Victor Coelho, de Cachoeiro de Itapemirim, fez falta enquanto na China

Victor-Coelho
A liderança política de Victor Coelho é sentida na sua ausência

Enquanto estava realizando visita intercambial com os empresários chineses, do dia primeiro até amanhã, a ausência do prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES Victor Coelho (PSB) foi sentida pelos cachoeirenses nesse pequeno espaço de 10 dias. Ele retoma atividades no dia 12.

Seu comando faz a diferença entre o secretariado e a sociedade nas tomadas de decisões, principalmente, quanto à expectativa  do início das obras estruturantes nos bairros e distritos. Victor Coelho tem a capacidade, pelo seu carisma, de criar padrões seguros de transparência.

A pequena ala opositora ao seu governo levanta o tom no ano eleitoral, interessante, com base no próprio portal de transparência da Prefeitura, modelo para o Brasil, o que inferioriza as formulações contrárias. Atravessou 2017 sem nenhum acusação de improbidade.

Essa retidão de conduta como agente público, exercendo seu primeiro mandato, tem sido perturbador para a classe política clássica, porquanto quebra paradigmas com seu estilo incomum e informal, tímido e espontâneo. Equipe técnica nutre muito respeito e admiração pelo socialista.

A viagem à China, criticada por alguns, pode ser considerada, mesmo sentida a sua ausência, singular para Victor Coelho trazer a visão cosmopolita da segunda maior potência econômica do mundo. Sempre muito bom sair da caixa do sendo comum.

Quem recusa o conhecimento teórico e prático nunca chegará ao estágio de gestor com formação apropriada para servir melhor o seu povo. Victor volta mais gabaritado e revigorado para continuar escrevendo a nova história cachoeirense.

Jaguaré-ES: preso funcionário de fazenda suspeito de matar o gerente por causa de R$ 4,6 mil

7780770226_239167dcb0_b

Em apenas algumas horas após o crime, a equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Jaguaré prendeu um dos três suspeitos de ser o autor do latrocínio de Jordano Soprani Conceição, de 62 anos, gerente da fazenda São Carmo, na Zona Rural do município. Y.F.S., de 21 anos, que também era funcionário da fazenda, foi preso na tarde dessa terça-feira (06) enquanto trabalhava. A ação contou com o apoio da Polícia Militar.

O titular da DP, delegado Daniel Fortes, contou que o crime aconteceu por volta das 10 horas e a motivação seria por causa de R$ 4.600,00, referentes à venda da plantação de pimenta da fazenda. “Os três suspeitos entraram na fazenda e tentaram render o gerente, porém Jordano reagiu à abordagem e acabou sendo atingido por disparos de arma de fogo. Ele chegou a ser socorrido, mas faleceu”, informou.

Daniel Fortes disse também que Y.F.S. foi localizado após um dos envolvidos perder o aparelho celular no local do crime. “Na fuga, um dos suspeitos deixou o aparelho para trás e, a partir disso, conseguimos chegar até o suspeito. Durante as investigações, descobrimos que a função dele era informar para os outros o momento em que o dinheiro da venda de pimenta chegasse na fazenda”, explicou.

Ainda segundo o delegado, um adolescente de 17 anos também foi identificado como um dos envolvidos no latrocínio. “O terceiro participante ainda não foi identificado. As investigações continuam até que todos os envolvidos no crime possam ser localizados e presos”, concluiu o delegado.

Y.F.S. confessou o crime e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus.