Miriam Leitão tem praticado um jornalismo “porco”

Miriam Leitão

Fui surpreendido hoje, dia 17, com o comentário da jornalista capixaba na Rede Globo, Miram Leitão, fazendo paralelo estapafúrdio e, supostamente, encomendado, entre o ex-governador Paulo Hartung (sem partido) e o atual Chefe do Executivo, Renato Casagrande (PSB).

Com aquela voz robótica – que às vezes dá boot – , ela teve a coragem de definir o que considera bom e mau gestor, citando o Espírito Santo. Exaltando o ex-governador Paulo Hartung, pela nota “A” nas finanças públicas, em ato contínuo desanca o socialista Casagrande.

Ela disse que a lei de anistia dos PMs e a reintegração dos mesmos com salários repostos é o exemplo de gestão temerária e do mau gestor, numa referência clara ao governador Renato Casagrande que se destacou na governo anterior como o melhor executivo na Segurança Pública.

Foi de amargar assistir a jornalista, que já presta serviços de opinião positiva ao ex-governador Paulo Hartung há décadas, por assim, então, analisa-se a prática de um jornalismo “porco”, impuro, manchado e mercantilista. A colega está em fim de carreira, quase parecendo caquética.

Depois daquele episódio bizarro e da desmoralização em que foi submetida pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), deixando-a em semelhança com ritualistas mediúnicas, Miriam Leitão deveria fazer auto-crítica e parar de utilizar seu CNPJ com fins de exaltar o ridículo e atacar o que nada sabe.

Jonas Nogueira faz vídeo da sua prestação de contas como prefeito interino

jonasevictor
Jonas Nogueira sendo empossado interino pelo prefeito Victor Coelho

No domingo (11), ultimo dia de sua interinidade, o vice prefeito Jonas Nogueira (PP), de Cachoeiro de Itapemirim-ES, lançou para os internautas vídeo de prestação de contas de 11 dias de ação executiva à frente da Prefeitura Municipal.

Durante os 11 dias, enquanto o prefeito Victor Coelho (PSB) estava em missão intercambial com empresários da China, Jonas Nogueira cumpriu agenda positiva, visitando bairros, secretarias, escolas e unidades de Saúde.

Veja o vídeo:

 

Prefeito Victor Coelho, de Cachoeiro de Itapemirim, fez falta enquanto na China

Victor-Coelho
A liderança política de Victor Coelho é sentida na sua ausência

Enquanto estava realizando visita intercambial com os empresários chineses, do dia primeiro até amanhã, a ausência do prefeito de Cachoeiro de Itapemirim-ES Victor Coelho (PSB) foi sentida pelos cachoeirenses nesse pequeno espaço de 10 dias. Ele retoma atividades no dia 12.

Seu comando faz a diferença entre o secretariado e a sociedade nas tomadas de decisões, principalmente, quanto à expectativa  do início das obras estruturantes nos bairros e distritos. Victor Coelho tem a capacidade, pelo seu carisma, de criar padrões seguros de transparência.

A pequena ala opositora ao seu governo levanta o tom no ano eleitoral, interessante, com base no próprio portal de transparência da Prefeitura, modelo para o Brasil, o que inferioriza as formulações contrárias. Atravessou 2017 sem nenhum acusação de improbidade.

Essa retidão de conduta como agente público, exercendo seu primeiro mandato, tem sido perturbador para a classe política clássica, porquanto quebra paradigmas com seu estilo incomum e informal, tímido e espontâneo. Equipe técnica nutre muito respeito e admiração pelo socialista.

A viagem à China, criticada por alguns, pode ser considerada, mesmo sentida a sua ausência, singular para Victor Coelho trazer a visão cosmopolita da segunda maior potência econômica do mundo. Sempre muito bom sair da caixa do sendo comum.

Quem recusa o conhecimento teórico e prático nunca chegará ao estágio de gestor com formação apropriada para servir melhor o seu povo. Victor volta mais gabaritado e revigorado para continuar escrevendo a nova história cachoeirense.

Jaguaré-ES: preso funcionário de fazenda suspeito de matar o gerente por causa de R$ 4,6 mil

7780770226_239167dcb0_b

Em apenas algumas horas após o crime, a equipe da Delegacia de Polícia (DP) de Jaguaré prendeu um dos três suspeitos de ser o autor do latrocínio de Jordano Soprani Conceição, de 62 anos, gerente da fazenda São Carmo, na Zona Rural do município. Y.F.S., de 21 anos, que também era funcionário da fazenda, foi preso na tarde dessa terça-feira (06) enquanto trabalhava. A ação contou com o apoio da Polícia Militar.

O titular da DP, delegado Daniel Fortes, contou que o crime aconteceu por volta das 10 horas e a motivação seria por causa de R$ 4.600,00, referentes à venda da plantação de pimenta da fazenda. “Os três suspeitos entraram na fazenda e tentaram render o gerente, porém Jordano reagiu à abordagem e acabou sendo atingido por disparos de arma de fogo. Ele chegou a ser socorrido, mas faleceu”, informou.

Daniel Fortes disse também que Y.F.S. foi localizado após um dos envolvidos perder o aparelho celular no local do crime. “Na fuga, um dos suspeitos deixou o aparelho para trás e, a partir disso, conseguimos chegar até o suspeito. Durante as investigações, descobrimos que a função dele era informar para os outros o momento em que o dinheiro da venda de pimenta chegasse na fazenda”, explicou.

Ainda segundo o delegado, um adolescente de 17 anos também foi identificado como um dos envolvidos no latrocínio. “O terceiro participante ainda não foi identificado. As investigações continuam até que todos os envolvidos no crime possam ser localizados e presos”, concluiu o delegado.

Y.F.S. confessou o crime e foi encaminhado para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de São Mateus.

Vitória, capital, está entre os centros urbanos mais violentos do mundo

O Brasil é o país com o maior número de cidades entre as 50 áreas urbanas mais violentas do mundo, segundo ranking divulgado nesta semana pela organização de sociedade civil mexicana Segurança, Justiça e Paz, que faz o levantamento anualmente com base em taxas de homicídios por 100 mil habitantes (veja lista completa abaixo).

violencia-greve-espirito-santo-vitoria-20170207-0014
Vitória, capital do ES, e suas mortes violentas

As 50 cidades mais violentas do mundo

Posição Cidade País Homicídios Habitantes Taxa (por cada mil habitantes)
1 Los Cabos México 365 328.245 111,33
2 Caracas Venezuela 3.387 3.046.104 111,19
3 Acapulco México 910 853.646 106,63
4 Natal Brasil 1.378 1.343.573 102,56
5 Tijuana México 1.897 1.882.492 100,77
6 La Paz México 259 305.455 84,79
7 Fortaleza Brasil 3.270 3.917.279 83,48
8 Victoria México 301 361.078 83,32
9 Guayana Venezuela 728 906.879 80,28
10 Belém Brasil 1.743 2.441.761 71,38
11 Vitória da Conquista Brasil 245 348.718 70,26
12 Culiacán México 671 957.613 70,10
13 St. Louis Estados Unidos 205 311.404 65,83
14 Maceió Brasil 658 1.029 63,94
15 Cape Town África do Sul 2.493 4.004.793 62,25
16 Kingston Jamaica 705 1.180.771 59,71
17 San Salvador El Salvador 1.057 1.789.588 59,06
18 Aracaju Brasil 560 951.073 58,88
19 Feira de Santana Brasil 369 627.477 58,81
20 Juárez México 814 1.448.859 56,16
21 Baltimore Estados Unidos 341 614.664 55,48
22 Recife Brasil 2.180 3.965.699 54,96
23 Maturín Venezuela 327 600.722 54,43
24 Guatemala Guatemala 1.705 3.187.293 53,49
25 Salvador Brasil 2.071 4.015.205 51,58
26 San Pedro de Sula Honduras 392 765.864 51,18
27 Valencia Venezuela 784 1.576.071 49,74
28 Cali Colômbia 1.261 2.542.876 49,59
29 Chihuahua México 460 929.884 49,48
30 João Pessoa Brasil 554 1.126.613 49,17
31 Obregón México 166 339.000 48,96
32 San Juan Porto Rico 169 347.052 48,70
33 Barquisimeto Venezuela 644 1.335.348 48,23
34 Manaus Brasil 1.024 2.130.264 48,07
35 Distrito Central Honduras 588 1.224.897 48
36 Tepic México 237 503.330 47,09
37 Palmira Colômbia 144 308.669 46,65
38 Reynosa México 294 701.525 41,95
39 Porto Alegre Brasil 1.748 4.268083 40,96
40 Macapá Brasil 191 474.706 40,24
41 Nueva Orleans Estados Unidos 157 391.495 40,10
42 Detroit Estados Unidos 267 672.795 36,69
43 Mazatlán México 192 488.281 39,32
44 Durban África do Sul 1.396 3.661.911 38,12
45 Campos de Goytacazes Brasil 184 490.288 37,53
46 Nelson Mandela Bay África do Sul 474 1.263.051 37,53
47 Campina Grande Brasil 153 410.332 37,29
48 Teresina Brasil 315 850.198 37,05
49 Vitória Brasil 707 1.960.213 36,07
50 Cúcuta Colômbia 290 833.743 34,78